Síndrome de Burnout: como ela afeta a sua saúde mental no trabalho?

A Síndrome de Burnout vem sendo uma pauta bastante comentada quando o assunto é o esgotamento profissional nos dias de hoje, um problema que afeta mais de 30 milhões de pessoas só no Brasil.

Desde 2019, um grande número de pessoas vem pedindo afastamento médico de seus trabalhos devido a problemas mentais causados pelo dia a dia do profissional.

Isso é o que serve para as pessoas tentarem refletir mais sobre a influência de doenças como a síndrome de burnout no dia a dia dos profissionais e das empresas que oferecem treinamento designado cipa.

A pandemia de 2020 causada pela covid-19 foi um dos fatores que ressaltou ainda mais certos problemas mentais como a ansiedade, a depressão e o burnout.

Tantas mudanças e o isolamento que foi necessário, levaram a uma drástica mudança na saúde mental de pessoas ao redor do mundo todo.

Com isso em mente, o presente artigo explicará mais detalhadamente o que é a síndrome de burnout e também falará sobre como ela afeta a saúde mental no trabalho.

Entendendo o que é Síndrome de Burnout

A síndrome de burnout ou também como é mais conhecida, síndrome do esgotamento profissional, nada mais é do que uma doença mental que aparece em pessoas que passam por situações desgastantes no local de trabalho.

Ou seja, são problemas causados por pessoas que lidam com muitas responsabilidades ou até mesmo que têm que lidar com um alto nível de competitividade todos os dias.

Essa síndrome é conhecida por surgir graça ao excesso de trabalho também ligado à pressão que isso causa. Muitos profissionais podem acabar desenvolvendo essa síndrome, assim como:

  • Médicos;
  • Professores;
  • Policiais;
  • Enfermeiros.

Além desses, muitos outros que lidam com trabalhos em dupla jornada ou até tripla têm altas chances de desenvolver a Síndrome de Burnout. 

Um dos maiores motivos para o surgimento dessa doença em profissionais é não alcançarem os difíceis objetivos impostos por seus chefes e gestores.

Muitas vezes o profissional auxiliar de produção logística se compromete em fazer algo que ainda não está capacitado ou o deixará mais atarefado, impedindo o cumprimento das demandas que já tem.

Isso acaba levando a sobrecarga, fazendo com que o profissional se sinta incapaz de realizar suas tarefas e ultrapassar seus limites para evoluir.

O termo burnout surgiu de inglês e é uma união das altas burn (queimar) e out (exterior). Em uma tradução livre pode ser chamada de uma sensação de queimação de fora para dentro.

Isso significa que são os fatores externos que acabam sendo os causadores dos problemas internos que uma pessoa acaba tendo no psicológico.

Ela pode levar a problemas graves como profunda depressão e ansiedade, portanto os profissionais e a empresa terceirizada serviços gerais devem se atentar e tomar cuidado para evitar essa síndrome.

Como ela afeta a saúde mental no trabalho?

Depois de entender o que é a síndrome de burnout, é essencial adquirir consciência sobre a influência que ela tem no local de trabalho.

Até porque ela nada mais é do que um distúrbio psíquico que pode afetar a vida das pessoas de várias maneiras, até mesmo em uma depressão profunda.

E, por mais que seja um problema que surge no trabalho, isso acaba levando por elas para vários âmbitos e atrapalhando a vida pessoal também.

Nesses casos, a pessoa com depressão ou ansiedade perde a vontade de tudo, estudar, trabalhar, fazer tarefas simples de casa e tarefas mais difíceis também como uma instalação de forro de gesso acartonado, por exemplo. 

Como muitos dos sintomas do burnout são parecidos com os sintomas da depressão e ansiedade, ele raramente é diagnosticado cedo.

Mas isso é um problema pois a longo prazo pode ser muito nocivo levando a um cansaço físico e mental extremo, alteração de humor, irritação, insônia, dores frequentes, falta de foco e muito mais.

Mas mesmo que não seja fácil de identificar, alguns elementos devem ser analisados em profissionais para garantir que está tudo bem.

O primeiro tem a ver com a exaustão, aquela sensação de que a pessoa está fazendo mais do que pode e não tem mais emocional nem físico para lidar com questões do trabalho.

O segundo é a ineficácia, um sentimento de que a pessoa é incompetente e desqualificada para realizar as suas tarefas, o que faz com que ela se torne improdutiva.

Por último, o ceticismo, que nada mais é do que a postura contrária do que deveria em uma situação difícil, sendo falta de interesse ou de preocupação com a adversidade.

Além de estar sempre analisando essas questões, é preciso que a empresa fabricante de purificador e alcalinizador de água se atente a problemas que podem surgir com a síndrome de burnout, alguns como:

  1. Diminuição da produtividade

Os 3 sintomas citados acima (exaustão, ineficácia e ceticismo), podem acabar afetando gravemente a vida de uma pessoa que tem a síndrome de burnout.

Todos são capazes de fazer com que o profissional acabe ficando menos motivado, menos produtivo e mais infeliz no trabalho, tendo uma drástica queda em seu desempenho.

Este fator se mostra ruim tanto para a pessoa quanto para a empresa em um panorama geral, que conta com a sua produtividade e boa performance para evoluir.

  1. Problemas com a empresa

Nenhuma pessoa deseja trabalhar em uma organização onde os funcionários estão sempre sofrendo por esgotamento mental e físico.

Por isso, a emblema que emite laudo ergonômico esocial, por exemplo, deve sempre se preocupar com os empregados e em como fazer para mantê-los motivados a continuar na companhia.

Esse fator está entre um dos que mais chama a atenção de um profissional em um processo de atração de novos talentos para uma empresa.

Já fatores como a síndrome de burnout acabam afetando de maneira negativa o recrutamento, fazendo com que os candidatos desistam da vaga e busquem lugares mais saudáveis e equilibrados para trabalharem.

  1. Crescimento do absenteísmo e da rotatividade

Absenteísmo é a palavra usada quando se faz referência às faltas de uma pessoa no trabalho. Já a rotatividade é o grande volume de funcionários novos em uma organização a todo momento.

Quando essas duas questões são analisadas e aparentam estar crescendo, é sinal de que passou da hora de mudar alguns pontos da empresa.

O passo inicial é a empresa de monitoramento de frota via gps buscar os pontos que estão deixando os funcionários insatisfeitos, e a síndrome de burnout pode ser um dos que mais aparecerão nessa análise.

  1. Problemas com o clima organizacional

Quando um ambiente faz exigências como uma carga horária muito excessiva, os colaboradores que trabalham esse tempo todo acabam passando por muita pressão.

Isso pode gerar uma série de problemas, mas o maior de todos é atrapalhar o clima organizacional da empresa que é algo tão importante.

Com um clima organizacional ruim, os colaboradores passam a se sentir mal e a ter uma percepção ruim da companhia, atrapalhando também na produtividade e motivação para realizar tarefas. 

  1. Crescimento do presenteísmo

O presenteísmo é a palavra usada para falar sobre um funcionário que vai trabalhar mas não se mostra mentalmente presente no local.

Geralmente, ele está com pensamentos mais distantes e que não envolvem nenhuma das atividades que deve realizar no trabalho de fabricação de toldo retrátil automático, por exemplo. 

Esse é um dos maiores efeitos colaterais da síndrome de burnout, até porque as pessoas que sofrem com ela se sentem mais esgotadas e desmotivadas para realizar tarefas, levando a piora do fenômeno.

Ou seja, não adianta nada o profissional comparecer ao trabalho e não conseguir ser produtivo, pois isso só desperdiça recursos e o tempo de todo mundo.

Considerações finais

Nos dias de hoje, em que a saúde mental está mais em pauta do que nunca, questões como a síndrome de burnout estão sendo mais reconhecidas e deixando de ser menosprezadas e negligenciadas

As pessoas estão falando cada dia mais sobre o assunto e simples acabando com certos mitos que impedem que alguém que passa por isso seja a coluna orientada e receba o suporte necessário.

Quando uma empresa trabalha com esse cuidado ao próximo, ela não está apenas cuidando dos colaboradores, mas sim da saúde da própria empresa.

Até porque, para que qualquer negócio cresça e tenha sucesso, ele precisa contar com trabalhadores motivados, equilibrados e felizes em desempenhar suas tarefas.

Por isso, mesmo que o burnout esteja sendo levado mais a sério nos dias de hoje, seus sintomas devem ser estudados, para garantir que o profissional esteja saudável e apto mentalmente para fazer o seu trabalho. 


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Daniela Zambelli

Daniela Zambelli

Publicitária, especialista em gestão de marcas, com mais de 20 anos de experiência em marketing e comunicação. Diretora de Arte da DZign® desde 2011.

Gostou? Compartilhe!

Comportamento

5 práticas infalíveis de liderança!

Liderança é uma habilidade que pode ser considerada como um dom natural ou até mesmo adquirida por um profissional. Com a missão de não apenas